You are on page 1of 5

A falta de água agora e no futuro

A água utilizável é e continuará sendo um bem cada vez mais disputado no planeta.
Atualmente, embora muito se fale em globalização, distribuição de recursos, a realidade
que se apresenta é triste. Quase 750 milhões de pessoas no mundo não possuem acesso
a uma fonte segura de água potável. Como se não bastasse, a demanda por esse precioso
bem irá aumentar em 400 por cento até o ano de 2050, tendo como base os índices de
consumo do ano de 2000. Os dados foram divulgados neste mês de março pelas Nações
Unidas, em Nova Déli, na Índia.

Segundo o estudo apresentado, o planeta pode enfrentar um déficit de 40% no


abastecimento de água até 2030 caso os modelos de consumo, utilização e descarte da
água não mudem, tanto na área doméstica quanto na da agricultura, da indústria e da
energia.

“Há um consenso internacional de que a água e o saneamento são essenciais para a


realização dos objetivos de desenvolvimento sustentável. Eles estão intrinsecamente
ligados às alterações climáticas, agricultura, segurança alimentar, saúde, energia,
igualdade, gênero e educação”, disse Michel Jarraud, Presidente da UN-Water e
Secretário Geral da Organização Meteorológica Mundial.

O estudo também alerta para a intensificação das disputas hídricas. Conflitos


interestaduais e regionais também podem surgir devido à escassez de água e má gestão.
Atualmente, 158 das 263 bacias hidrográficas transfronteiriças não têm qualquer tipo de
gestão cooperativa.

Neste sentido, cada dia mais, torna-se necessária a implementação de efetivas políticas
públicas e privadas visando o bom uso da água em todas as relações sociais e humanas.
Faz-se necessário que a questão da responsabilidade ambiental se torne parte integrante
de todas as políticas econômicas e produtivas da humanidade. Somente assim, com uma
efetiva gestão da água é que as pessoas poderão afastar o fantasma da escassez que
passou a assombrar nos tempos atuais.

Educação

geografia

Geografia física

Água: uso e problemas

Água: uso e problemas

Por Leonardo Delfim Gobbi

Professor de Geografia do Colégio Qi




Introdução

As diversas questões ambientais e sociais que envolvem a água tornam-a importante


para o Enem. A água corresponde a um imenso recurso natural do qual as sociedades
humanas necessitam para sobreviver. Em várias partes do mundo, o acesso à água é
diferenciado, mas por motivos diferentes: enquanto em alguns países existe uma
abundância desse recurso, em outros a escassez leva milhões de pessoas a sobreviverem
em condições sub-humanas.

De toda a água existente em nosso planeta, cerca de 97,5% é salgada e apenas 2,5% é de água
doce. Desses 2,5%, podemos estimar que a reserva de água doce do nosso planeta encontra-se
distribuída da seguinte maneira:

- 68,9% encontram-se congeladas nas calotas polares e nos cumes das altas montanhas;
- 29,9% localizam-se no subsolo, como em aquíferos;
- 0,9% em outros reservatórios, como nuvens, vapor d’água, etc;
- 0,3%, apenas, estão disponíveis em rios e lagos.

É justamente desse pequeno percentual, encontrado em rios e lagos, que toda a população
mundial depende para sobreviver.

O fato de a água possuir um ciclo de renovação através do processo de evaporação dos mares,
rios e lagos, garante sua renovação, entretanto, este recurso vital à nossa sobrevivência está
se esgotando. O principal problema está associado à relação entre o tempo necessário para
essa renovação e o ritmo de exploração dos recursos hídricos. Para se ter ideia, de acordo com
os dados da WBCSD (World Business Council for Sustainable Development), em 60% das
cidades europeias com mais de 100.000 pessoas, a água subterrânea está sendo usada em um
ritmo mais rápido do que pode ser reabastecida.
A escassez de água pelo mundo (Foto: Reprodução/International Water Management
Institute, 2007)

Por essa razão, a escassez de água é um problema que já afeta quase todos os continentes, e
de acordo com dados da FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura),
em 2025, cerca de 1,8 bilhão de pessoas estarão vivendo em países ou regiões com escassez
de água absoluta. Além disso, mais da metade da população mundial poderia estar vivendo
sob estresse hídrico, o que corresponde a um desequilíbrio entre a oferta e a demanda de
água em determinada região.

PRINCIPAIS USOS DA ÁGUA

Em todo o mundo, a maior parte da água que utilizamos destina-se à prática agrícola. Cerca de
70% de toda a água doce é utilizada em irrigação de plantações e, a maior parte dessa água
não pode ser reaproveitada, pois encontra-se contaminada por fertilizantes e pesticidas
químicos.

Dos 30% restantes, aproximadamente 20% são utilizados pela atividade industrial em
seus processos de produção. Uma das atividades industriais que mais consome água é a
de produção de couro. Em um quilo de couro utilizado para produzir roupas e artefatos,
como bolsas e sapatos, gasta-se nada menos do que 16,6 mil litros de água.
água - uso e problemas (Foto: Reprodução/Colégio Qi)

Os outros 10% são utilizados pela população mundial para realização de diversas tarefas, que
vão desde o próprio consumo até a sua utilização para o preparo de alimentos, higiene
pessoal, limpeza na habitação, entre outros.

ÁGUA POTÁVEL: UM RECURSO AMEAÇADO

O principal problema da água na atualidade está diretamente associado à falta de água potável
no mundo, devido a um gerenciamento inadequado dos recursos hídricos. Os principais
responsáveis pela contaminação da água de nosso planeta são:

- a falta de saneamento básico e o lançamento de esgoto doméstico in natura;


- a descarga de dejetos industriais sem o devido tratamento;
- a contaminação por produtos químicos provenientes de atividades agrícolas.

Nos últimos anos, o consumo de água no mundo aumentou em razão do crescimento


populacional, principalmente em países como a China e a Índia. Com um número maior de
habitantes, é necessário um aumento da produção agrícola. A estimativa é de que, para
alimentarmos os cerca de 8 bilhões de habitantes em 2025, será necessário um aumento de
14% no consumo de água, comprometendo ainda mais nossos recursos.

Outro fator que pode ser considerado uma ameaça à oferta de água corresponde ao elevado
índice de urbanização. Na maioria dos países subdesenvolvidos e em desenvolvimento, cujo
processo de urbanização é recente, as águas residuais são lançadas nos rios, lagos e oceanos
sem nenhum tipo de tratamento, ameaçando a saúde da população e o acesso à água potável.
Segundo dados da Unesco, 27% da população urbana no mundo em desenvolvimento não têm
água encanada em sua casa.

O aumento da industrialização nos países em desenvolvimento também se torna uma ameaça


à escassez, pois como muitas indústrias dos países desenvolvidos são altamente poluentes,
algumas delas estão se deslocando em direção aos países emergentes.
PRINCIPAIS PROBLEMAS

Apesar da ONU declarar em Assembléia Geral no ano de 2010 que possuir acesso à água
potável e ao saneamento básico é um direito humano essencial, ainda hoje muitas pessoas
nem sequer sabem o que é possuir água tratada em suas residências. Parte desse problema
está associada à existência de conflitos envolvendo a disputa por recursos hídricos e pelo
controle de bacias hidrográficas.

Atualmente, a maioria dos conflitos está relacionada às condições climáticas e existência de


rios localizados na fronteira entre países.

O Oriente Médio é hoje a região com maiores problemas de acesso à água potável devido as
suas condições climáticas, já que na região predominam climas áridos. Nos poucos países em
que existem nascentes de água,esse recurso possui uma importância geopolítica muito grande.

Um exemplo de disputa por água existe entre Israel, Líbano, Síria e Jordânia que disputam o
domínio da Bacia do rio Jordão. O rio Jordão nasce em território sírio, na região das Colinas de
Golã e, por essa razão,esse território é historicamente disputado entre esses países.

Outro exemplo ocorre nas proximidades dos rios Tigres e Eufrates, que nascem na Turquia,
mas que atravessam países como o Iraque e Síria. O controle das nascentes dos rios em
território turco possibilita a construção de barragens para usinas hidrelétricas, canais de
irrigação para a agricultura, diminuindo a vazão do rio o que afetaria o abastecimento dos
demais países.